#

Abertura da Jornada Literária

#

por Mariana Bitencourt

Na noite do dia 12 de julho, ocorreu a abertura da 1ª Jornada Literária do DF. De curadoria de João Bosco Bezerra Bonfim, o evento teve como convidado principal o poeta Nicolas Behr. A abertura também contou com a presença de outros importantes escritores da cena literária de Brasília, nomes como Jéferson Assumção, José Rezende Júnior, Lucília Garcez, Marco Miranda, Romont Willy e Tino Fritas estavam presentes.

Em sua fala, a Secretária-Adjunta de Cultura, Nanan Catalão, reafirmou o interesse da gestão do FAC em seguir apoiando eventos de literatura que possam criar e manter um círculo virtuoso, em que leitores, livros, escritores, livreiros e editores se apoiem e se reforcem mutuamente.

A Jornada Literária busca, além da promoção do livro, a valorização, principalmente, do escritor e do leitor, pois, como Nicolas Behr afirmou, “sem leitor, não há escritor”. De acordo com João Bosco, a Jornada tem esse nome para dar ideia de caminho, de algo contínuo.

O evento promove a leitura por meio de empréstimos de livros para as bibliotecas das escolas. Dessa forma, o aluno lê a obra e vai até a Jornada conhecer o autor do que leu. “Essa é a oportunidade de o escritor encontrar o público e quebrar a própria solidão”, comentou José Rezende.

A noite de abertura também contou com a apresentação do grupo de percussão Tamnoá (Tambores do Paranoá), trazendo o som do maracatu e do samba de coco para os convidados. Realizada pelo FAC (Fundo de Apoio à Cultura), pela Secretaria de Cultura do Distrito Federal e pelo Governo de Brasília, a 1ª Jornada Literária do DF tem apoio do CEDEP (Centro de Cultura e Desenvolvimento do Paraná), local sede da Jornada.


12 a 16 de julho de 2016

No Centro de Cultura e Desenvolvimento do Paranoá


logos Apresentação
logos-rodapeApoio:Apresentação: